Estimulação e Reabilitação Cognitiva - 18+

Estimulação e Reabilitação Cognitiva - 18+

A reabilitação cognitiva é um serviço especializado na recuperação (parcial ou total) de funções cognitivas debilitadas. A avaliação neuropsicológica é uma etapa imprescindível no diagnóstico das diversas perturbações cognitivas, permitindo comparar o desempenho do indivíduo com valores normais para a sua idade e escolaridade e, dessa forma, determinar o tipo de intervenção mais adequado a cada paciente.
Com o envelhecimento cerebral surgem algumas dificuldades no funcionamento cognitivo, nomeadamente a diminuição da atenção, da memória imediata e uma lentificação da velocidade de processamento da informação. É fundamental distinguir queixas de memória normais, associadas ao envelhecimento do cérebro, e perturbações da memória consequentes de um processo inicial de demência.
A reabilitação cognitiva é indicada não só em processos demenciais iniciais, mas também na recuperação de diversos quadros neurológicos e neurocirúrgicos, nomeadamente o acidente vascular cerebral e o traumatismo craniano.
A reabilitação cognitiva, sendo uma intervenção terapêutica não farmacológica, baseia-se em sessões de treino com vista a preservar ou melhorar o desempenho ou as funções cognitivas, tais como a memória, a atenção, o raciocínio, a capacidade de resolução de problemas, entre outras. Estimulam-se as áreas cognitivas deficitárias e potenciam-se as que estão conservadas. De forma a complementar o tratamento, os familiares e cuidadores recebem orientação e apoio no sentido de verem as suas dúvidas esclarecidas.

A quem se destina

Adultos ou seniores

Áreas de intervenção

Declínio cognitivo ligeiro
Doenças neurodegenerativas (Alzheimer, Parkinson, demências frontotemporais)
Acidente vascular cerebral
Traumatismo cranioencefálico
Esclerose múltipla
Quadros psiquiátricos refratários (ex.: Esquizofrenia, Depressão, Doença Bipolar)
Alterações decorrentes de uma intervenção neurocirúrgica
Doentes oncológicos
Alcoolismo/Toxicodependência

 

Objetivos
Retardar o mais possível o aparecimento de um quadro demencial
Estabilizar um processo neurodegenerativo em curso
Compensar funções cognitivas gravemente comprometidas, através do recurso a funções similares
Recuperação de funções cognitivas para níveis de funcionamento próximos do normal
Estimulação contínua da reserva cognitiva essencial para um envelhecimento saudável
Maximizar as funções cognitivas que ainda se encontram preservadas
Otimizar do funcionamento global do doente
Potenciar a ação farmacológica
Capacitar o doente de uma maior autonomia
Proporcionar maior qualidade de vida

Modalidades
Individual (sessões de 50 minutos)
Em grupo (sessões de 75 minutos)